Posts Tagged ‘escolhas’

Conversão é comunhão interior


A vida nos apresenta múltiplas possibilidades para renascer. Sim, nascemos muitas vezes no decorrer da jornada. E cada nascimento é muito significativo. Quando estamos alinhados com nossa essência o momento da conversão acontece de modo especial e torna-se um divisor de águas em nossa caminhada. Em todas as religiões há o chamado para a conversão, mas, aqui falo da verdadeira e milagrosa conversão que só acontece no processo de comunhão interior, independente de religião.

Comungar espiritualmente é uma sensação que cada pessoa experimenta em seu íntimo. É um encontro divino que promove milagres ações. A conversão é um processo contínuo que, embora tenha suas importantes representações simbólicas dentro de cada religião, é aprimorado continuamente com a proximidade do sagrado que habita em cada ser humano. Respeitar a diversidade da fé é olhar o mundo com a lente da diversidade e entender que cada pessoa escolhe e segue sua rota quando é tocada no coração. A conversão sublime é bênção permanente.

Há sempre possibilidade para evoluir quando estamos em sintonia com nossa natureza criativa e compreendemos que cada passo é uma etapa de aprendizado e que temos a capacidade de criar e realizar nossos sonhos. A conversão na atmosfera da espiritualidade é uma trilha expansiva. No meu trabalho de Spiritual Coaching, eu tenho a feliz oportunidade de compartilhar de um processo que desperta e eleva as pessoas no processo de conversão interior que nasce com questionamentos profundos e simples, cujos desdobramentos são surpreendentes. O ritmo das mudanças cria um novo roteiro repleto de progressos e desafios.

Aprendo na prática cotidiana do meu trabalho que a verdadeira conversão nasce e ganha forma quando a pessoa tem consciência de sua centelha divina e assume a direção de sua estrada. O nascimento de uma nova percepção que cresce com a espiritualidade presente em todos os sentidos multiplica a graça em diferentes cenários. O que antes era fragmentado torna-se integrado. A conversão é presença da fé viva e do amor no servir com devoção a vida.

“Vocês homens são muito melhores do que a cultura moderna os faça acreditar, vocês são muito melhores do quanto vocês mesmos acreditam ser. Então não tenham medo de ser o que vocês são: criaturas divinas”, João Paulo II.

Retrospectiva com foco no futuro


O final do ano chegou e muitas pessoas estão envolvidas com a organização de confraternizações, compra de presentes, ceia e outros detalhes deste período natalino. Refletindo sobre todas essas atividades e observando as luzes que já iluminam os ambientes, penso em três distintas projeções que são entrelaçadas. Tem a projeção com a retrospectiva do passado, o cenário presente e o que planejamos para o futuro. A projeção do futuro contempla o passado e o presente.

Olhar o passado sem ficar preso ao que se foi é importante porque nos liberta para criarmos no presente as ações eficazes para construção do futuro que almejamos. Observar o passado com a lente aguçada nos faz entender que muito do que realizamos no presente tem sua raiz em decisões, mudanças, compromissos e encontros que firmamos lá atrás. Examinar o presente nos dá a dimensão do modo que estamos atuando. É o momento de analisar com clareza se nossos passos estão em sintonia com nossa essência e escolher o roteiro que iremos seguir. Projetar o futuro é programar o que queremos para o amanhã que logo chegará, é alinhar nossas metas em parceria com nossos reais propósitos e organizar o cronograma do planejamento.

Essas três projeções reunidas nos concede consciência do quanto à linha do tempo de nossa vida é uma sequência e consequência de nossas escolhas. Ao propor uma retrospectiva com foco no futuro minha intenção é que ela seja um momento de intensa reflexão que amplie sua proximidade consigo mesmo. Com diferentes ângulos podemos vislumbrar distintas paisagens do que somos, do que já alcançamos no passado e está refletido no presente e do que pretendemos fazer para conquistar metas futuras. É um mesclar do interno e externo de uma maneira que compreendamos a conexão que há diante da forma que nos posicionamos diante da vida.

A estrada que traçamos no coaching é uma roda. Esse formato de mandala é muito simbólico e estabelece uma ligação em cada ponto interligando passado, presente e futuro com uma harmonia que propicia uma visão do todo e das partes integradas no círculo de nossa história. É interessante notar como vamos registrando nossos reflexos em cada ação e as tantas vezes que giramos a roda para reiniciar os ciclos do caminho. A trilha no desenho da roda é uma nova e antiga linha do tempo que gira permanentemente mostrando que a trajetória de todos nós é um ciclo de movimento contínuo.

Há quem faça sua retrospectiva ao comemorar o aniversário o que é muito relevante porque ao nascer a cada ano renovamos o voto com nossa missão. O final do ano e o inicio de um novo é também um momento de passagem marcado por muitos rituais. A retrospectiva é também um ritual que nos convoca a colocar na balança muitos fatores que podem até ser conflitantes. As polaridades nos acompanham e aprender a lidar com as adversidades nos torna persistentes para avançar rumo a plenitude. Renove e fortaleça sua aliança de continuar projetando o futuro levando na bagagem as lições do passado, a energia do presente para criar e realizar seus sonhos e a certeza de que seguir adiante é aprender a melhorar.

Lá na frente, ao chegar mais uma vez ao fechamento de um novo ano, vai rever o que foi idealizado como futuro materializado como realização de mais um capítulo de sua jornada. Só depende de você. Faça acontecer o tempo de sua vida. Feliz Natal! Iluminado e criativo ano novo!

Fatyma de Moraes – Master Coach
Fones (11) 3682-5614/3699-7284